O Jejum de Ramadã1

Entre os dias 27 de maio e 25 de junho, bilhões de muçulmanos, mais especificamente cerca de 1,6 bilhão, realizam sua prática de jejum chamado Ramadã.

Esse período é um dos mais importantes para os adeptos ao Islã, que comemoram o mês em que o profeta Maomé recebeu os primeiros versos da revelação corânica.

O jejum é praticado ao longo de um período de 28 a 30 dias do nono mês do calendário islâmico, e tem início no primeiro dia de Lua Nova do mês. Durante esse período, comer, beber e ter relações sexuais é proibido entre o alvorecer (Fajr) e o pôr do sol (Maghrib).

Todos aqueles que já chegaram à puberdade são obrigados a realizar o jejum, e o primeiro jejum da vida do adolescente é comemorado com muita alegria, pois é sua inserção na vida adulta. Com exceções à obrigatoriedade da prática estão as gestantes, as lactantes, os enfermos, os idosos, entre outras especificidades. Dar uma refeição a um necessitado e praticar 60 dias consecutivos de jejum são algumas das “punições” para aqueles que, de acordo com sua condição, quebrarem as regras.

Estrangeiros em países de maioria muçulmana passam por certas dificuldades durante esse período. As regras e punições para quem comer enquanto o sol estiver no céu varia desde uma pena de até seis meses de prisão a uma punição com serviços comunitários, dependendo em que país do mundo se está.

Apesar de ser chamado de “mês de jejum”, o Ramadã é o mês do calendário islâmico em que se consome mais alimentos do que em qualquer outro mês, no mundo muçulmano. Após o pôr do sol, os muçulmanos se reúnem e celebram o fim do jejum (Iftar) daquele dia com grandes quantidades de comida, geralmente preparadas pelas mulheres ao longo do dia.

O Ramadã é o quarto dos Seis Pilares do Islã que inclui a profissão de fé (Shahada), as orações (Salat), as esmolas ou doações (Zakat), a peregrinação a Meca (Hajj) e a luta “no caminho” ou “pela causa” de Allah (Jihad). Esse é um tempo de solidariedade religiosa entre a comunidade islâmica, durante o qual se praticam orações, caridade e confissão de pecados com devoção especial.

Alguns muçulmanos acreditam que uma recompensa por uma boa obra durante o mês de Ramadã é multiplicada por 70 vezes ou mais. Por isso, o Ramadã também é conhecido como o mês da generosidade e caridade.

Ore para que o povo muçulmano, ao longo do mês de Ramadã, tenha um encontro com o verdadeiro Cristo. Que ao longo desse mês, Deus possa se revelar ao povo muçulmano de forma que conheçam a verdade e sejam libertos por ela. Ore, também, para que cristãos em contexto muçulmano aproveitem a oportunidade de anunciar Cristo e não se calem diante das dificuldades. Que o amor de Jesus possa alcançar o coração do povo muçulmano através de cada cristão, não somente no mês de Ramadã, mas durante todo o ano.

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© M3 - Missão Mundo Muçulmano
Topo
Redes Sociais: