Testemunhos Escola de Férias

  • Igor Pacheco
    Meu nome é Igor, tenho 20 anos, sou de Guarulhos e participei da Escola de Férias da UM3, em BH. Vou tentar descrever em palavras, por mais limitadas que elas sejam, a experiência vivida durante as aulas. Bom, eu sempre fui cristão. Na verdade, eu me julgava cristão. Lá eu percebi que eu era cristão por indução e não por convicção. E isso por si só já é uma grande revolução na minha caminhada com Cristo. Era como se eu o seguisse sem o conhecer e sem saber convincentemente o motivo pelo qual eu o sigo e não sigo a outro possível messias. Você deve estar se perguntando se fui lá pra aprender sobre o Islã ou sobre Jesus Cristo, não é? Então, a minha experiência foi de profundo conhecimento com o meu Salvador. Hoje meu relacionamento com Jesus melhorou, pois hoje o conheço e descobri que a fé não é uma força emocional que fazemos, mas que também podemos o conhecer. E detalhe: Iavé é um Deus que quer ser conhecido, por isso no deixou a Bíblia, que nos revela o caráter de um Deus missionário. Hoje em dia não tenho mais receio de tocar em um ponto polêmico da minha bíblia. Além do conhecimento sobre o Islã, que com certeza é raríssimo, pudemos ter contato com o material da M3 que é de altíssima qualidade e não conseguimos encontrar em outro lugar. Entre muitas outras coisas, percebi a urgência que temos em comunicar a mensagem do evangelho, como precisamos trabalhar e orar para que o senhor envie trabalhadores. Antes de ir para a Escola de Férias, durante um tempo, eu orei ao senhor, estava vivendo algumas crises. A M3 foi a resposta de oração que eu tanto pedi a Deus. Como é para você pensar que o eterno te usa na missão d’Ele? Gratificante? Então, a M3 tem sido usada por Deus e a partir dessa escola de férias eu também quero me dispor a ser usado por Deus e ser a resposta de oração de outras pessoas, assim como a M3 foi pra mim. Se eu pudesse resumir, mesmo tentando não ser clichê, não dá pra falar algo diferente de: "Essa Escola de Férias, com a graça de Deus, mudou definitivamente quem eu sou".
  • Fabrícia Araujo
    Ao chegar à Escola de Férias eu não tinha muita clareza do que esse tempo representaria. Somente ardia no meu coração uma expectativa de que seria algo único e diferenciado de outras experiências. E foi exatamente o que aconteceu. Será que existem palavras que possam descrever aqueles dias ali? Difícil! Foram dias de intenso aprendizado, alimento sólido da Palavra e momentos de comunhão indescritíveis. O aprendizado foi muito além de conhecer o Islã. Ali aprendemos a ser igreja e como igreja estarmos unidos por uma missão única, a missão de Deus. Mais do que estarmos preparados para responder ao clamor dos perdidos, aprendemos a responder da esperança do Cristo em nossas vidas. E isso não foi sem consequência. Agora, alguns dias após a escola, estou muito mais inclinada ao relacionamento com Deus e às pessoas e como uma vontade incontrolável de responder logo ao irresistível convite d’Ele para participar de sua missão aqui e até os confins da terra.
  • Thaize Silvano
    Sem dúvida foi um tempo muito precioso! A proposta apresentada nessas primeiras três matérias já disponibiliza ferramentas importantíssimas para o desafio de revelar o amor de Deus aos muçulmanos. Eu considero um preparo importante para os amigos que se sentem encorajados pelo Senhor a irem às nações de influência islâmica. Considero, também, importante para as agências ou escolas de missões, uma parceria com a UM3, assim poderão levar conhecimento específico que vai ajudar a desconstruir falsas expectativas e construir boa base para preparação e envio. Uma das coisas mais marcantes pra mim foi, nesses 15 dias, perceber na equipe que ofereceu o treinamento uma intenção COMUM e visível nas ATITUDES e palavras: expressar o amor que revela a verdade com respeito! Vi amor a um grupo específico de pessoas que vivem dominadas por um engano, que vivem gastando suas vidas em atos religiosos. Atos que, no fundo, demonstram uma busca ansiosa para se relacionarem com um deus (Alah) que não é relacionável. Nos últimos dias da leitura do Alcorão, já lendo em pé e procurando resistência, eu me emocionei ao perceber que no mundo muçulmano, por trás de todo esse engano (mesmo nos mais extremistas e violentos), o que existe, na verdade, são "filhos" desejando SEREM filhos DE VERDADE. Por trás de todos os complexos ritos religiosos de oração, de peregrinação e de toda doutrina preservada pela imposição e pelo medo existem dúvidas e existe ainda sede de RELACIONAMENTO. E, enquanto "filhos" procuram o Pai, nós sabemos que fora deste engano existe um Pai que também procura seus filhos. Então, me perguntei como posso levá-los à cruz, Senhor? Ensina-me, Senhor! Como posso ligar essa sede à água viva? Vi no dia a dia, nas atitudes e conversas com os facilitadores muita compaixão por um povo que vive SINCERAMENTE dentro de um erro, um povo que tem uma forte convicção num engano. Ouvi nesses dias um grito de "DESPERTA!" para o maior desafio que a igreja pode enfrentar atualmente. Senti que no fundo todo esse crescimento do Islã tem servido também para revelar a IDENTIDADE dos que dizem ser cristãos atualmente. Perdemos a identidade! O único exército que poderia enfrentar essa guerra de frente, com as armas do amor, não avança, pois ainda TEME a morte; como se já não tivesse perdido a vida quando encontrou com Cristo! Ignoramos o impacto do martírio de Estevão na conversão de Paulo, entende? Durante esse tempo, isso ficou mais evidente e tenho pedido ao Pai para me ensinar a expressar tudo isso que ficou latente dentro de mim. Eu vivi durante um ano próxima de muitos muçulmanos, tive até um professor de francês e Zarma muçulmano que me fez muitos dos questionamentos aprendidos aqui na escola. Sem dúvida, se eu tivesse esse preparo, esse tempo no campo seria mais assertivo. Eu aconselho o curso como um preparo essencial. Imagina só se eu tivesse estudado sobre o alcorão ou lido...eu teria ferramentas para um debate produtivo. Penso que, ao retornar, todas essas ferramentas serão bem utilizadas à medida que os desafios surgirem. Abraço a equipe!
  • Rodrigo Bueno
    Olá, Gostaria de deixar registrado sobre a experiência que tive neste curso de férias sobre o mundo muçulmano. Foi muito bom para mim participar deste curso, pois acrescentou muito conhecimento a respeito do Islamismo e também sobre a defesa da nossa fé. Coisas que já deveríamos saber desde quando nos tornamos Cristãos, mas, infelizmente, não procuramos saber ou as igrejas não ensinam. Foi neste curso que vim a pensar a respeito e saber de verdade explicar aos outros o porque creio em Deus e na Bíblia. Estar essas duas semanas junto à essa galera que tem amor pelo que faz é muito bom para nos motivar a continuar no nosso chamado e seguir em frente. Agradeço a todos da M3 por essa oportunidade incrível e oro para que Deus continue abençoando sempre o ministério de vocês para que possam alcançar cada vez mais vidas! Obrigado!

Galeria de Imagens Escola de Férias 2016

service-icon-2 service-icon-2 service-icon-2 service-icon-2 service-icon-2 service-icon-2 service-icon-2 service-icon-2
Write a comment:

*

Your email address will not be published.

5 × três =

© M3 - Missão Mundo Muçulmano
Topo
Redes Sociais: