“Vinde rezar, vinde florescer, não há outra divindade senão Allah; Allahu Akhbar (Allah é maior)”!

Essas são as palavras ditas em árabe pelos muezins que chamam os fiéis do Islã a oração. A oração (salat) é um dos cinco pilares do islamismo, ou seja, um dos preceitos de devoção que todo muçulmano segue. Acredita-se que Maomé escolheu a sexta-feira como dia em que os muçulmanos deveriam reunir-se para rezar. Mas todos os dias, nas mesquitas de todo o mundo, os muezins chamam os fiéis à oração. Na mesquita, no local de trabalho ou em casa, os muçulmanos interrompem seus afazeres para cumprir ao chamado da oração. Cinco vezes ao dia, ao amanhecer, ao meio dia, a tarde, ao por do sol e a noite, para os sunitas, que representam cerca de 85% dos muçulmanos do mundo. Os muçulmanos xiitas, por sua vez, realizam o processo diário de oração três vezes ao dia. Isto porque, estes últimos seguem apenas a prescrição do Alcorão, que menciona três orações, já os demais muçulmanos por seguirem o conjunto de tradições previstas em outros livros do Islã, como as Sunnas e os Hadithis realizam cinco orações diárias.

Em regra, em cada uma das orações diárias são repetidos os mesmos versos do Alcorão, em árabe, presentes na Sura 1, ayas 1 a 7, a saber:

Em nome de Allah, Clemente, Misericordioso! Todos os louvores são para Allah, o Senhor de todos os Mundos. Clemente, Misericordioso, Soberano do Dia do Juízo! Só a Ti adoramos e só de Ti imploramos ajuda! Guia-nos à senda reta, À senda dos que agraciaste, Não à dos abominados, nem à dos extraviados

As orações são sempre precedidas pelos rituais de lavagem e purificação, nos quais os muçulmanos lavam a face, as mãos, os braços e os pés. Caso não haja água, o ritual de purificação é feito com areia, mas não pode deixar de ser observado.

Determinados gestos devem, também, ser sempre observados. O fiel deve realizar o ritual chamado de raqa, no qual parte de uma posição ereta, com as mãos apertadas ao nível da cintura, cai de joelhos, prostra-se e volta a pôr-se de pé. Esse ciclo é repetido várias vezes antes de se sentar ou ajoelhar para recitar os versos do Alcorão. Durante a oração também são repetidos determinados gestos como ficar de pé, inclinar-se, ajoelhar levando o rosto ao chão, ajoelhar novamente e sentar.

Geralmente mulheres e homens oram em locais separados. Em muitas culturas muçulmanas, as mulheres rezam em casa, enquanto os homens vão para as mesquitas.

Importante, então, observar, no tocante as orações diárias praticadas no Islã, que as mesmas são, antes de qualquer coisa, um ritual diário a ser observado e não um momento de busca de intimidade com Deus. Nisto reside a diferença entre as orações muçulmanas e as orações como prescritas e praticadas no cristianismo. Ao ensinar seus discípulos a orar, Jesus Cristo, como relatado em Mateus 6:9-13, os incentiva a chamar Deus de pai, em um gesto de intimidade e comunhão, bem como a colocarem diante Dele suas necessidades e medos diários.

Por sua vez, as orações no Islã, não tem o intuito de ser uma conversa com Deus na busca por comunhão e respostas vinda do seu Senhor, mas um conjunto de ritos a serem seguidos, tanto que os versos corânicos são repetidos em árabe, ainda que o fiel nada saiba desta língua. Isto porque, na visão e teologia muçulmanas Deus é um ser absolutamente transcendente, que não se comunica com a humanidade de forma direta. Tanto é assim que o próprio profeta Maomé jamais ouviu a voz de Deus, mas, segundo as tradições muçulmanas, foi orientado por um mensageiro, o anjo Gabriel.

Os muçulmanos não são ensinados a verem Deus como pai, mas apenas como Senhor e em sua maioria não esperam uma manifestação ou resposta divina a suas orações, que não são praticadas com este intuito, infelizmente.

  1. 23 de dezembro de 2019

    Muito esclarecedor!! Eu não sabia as diferenças entre a oração cristã e a islâmica!! Parabéns!

  2. 22 de dezembro de 2020

    Por quê o infelizmente?

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© M3 - Missão Mundo Muçulmano
Topo
Redes Sociais: